Postagens

O Mundo Bipolar - A Guerra da Coreia

Imagem
A década de 1950 começou com um dos maiores conflitos do período Pós Segunda Guerra. Travada em uma península asiática, a Guerra da Coreia expôs o que seria o mundo bipolarizado entre os Estados Unidos e a União Soviética, entre o Capitalismo e o Socialismo.

Da década de 1910 até o final de Segunda Guerra Mundial a península da Coreia estava ocupada por forças japonesas. Após o final do conflito mundial a península coreana foi dividida na altura do paralelo 38, ficando o norte sob influência da União Soviética e sul sob influência dos Estados Unidos.
A zona de fronteira entre as duas Coreias se tornou um local de constantes provocações militares. Até que na madrugada de 25 de junho de 1950, com apoio armado soviético, a Coreia do Norte, sob comando de Kim Il-Sung, invadiu o sul, com o intuito de reunificar a península. Antes da invasão políticos norte-americanos haviam sugerido que os Estados Unidos não dariam apoio a Coreia do Sul, que era governada por Syngman Rhee, em caso de invasão…

A Grande Seca de 1877

Imagem
Há 140 anos, em 1877, ocorria uma das mais terríveis secas da história do Nordeste. Conhecida como a Grande Seca, foi um período de estiagem que perdurou de 1877 à 1879.  Toda região foi afetada, contudo a província do Ceará foi a mais atingida, onde cerca de 10% da população pereceu (a província tinha por volta de 800 mil habitantes).
Mesmo com a região Nordeste sendo atingida, anteriormente, por outro período de seca, entre 1844 à 1845, a força da estiagem de 1877 surpreendeu o governo imperial, que ainda não tinha planos para combater aquele flagelo, deixando a população a mercê da seca.
Ocorreu um grande êxodo para outras regiões. Milhares tentaram refúgio na Amazônia, outros tentavam se refugiar nas cidades do litoral. Este êxodo pode ser resumido em números: A cidade de Aracati, no litoral do Ceará, passou de cinco mil habitantes para mais de 60 mil pessoas. A capital Fortaleza, tinha 21 mil habitantes no ano de 1872 e 1878 passou a ter mais de 130 mil, contudo muitos não conseguia…

Uma História Que Não Pode Ser Esquecida - O Cemitério dos Pretos Novos

Imagem
Um dos mais importantes sítios arqueológicos, com referência à escravidão no Brasil, se localiza no Rio de Janeiro.  O Cemitério dos Pretos Novos, também chamado de Memorial dos Pretos Novos, é também, um centro cultural onde abriga os restos de um antigo cemitério de escravos.

O Cemitério dos Pretos Novos, que existiu entre o final do século XVIII e início do século XIX, estava localizando no antigo mercado negreiro do Valongo, no Rio de Janeiro. Os negros recém-desembarcados da África eram chamados de "pretos novos".
Nas longas viagens, entre a África e a Brasil, boa parte dos negros chegava debilitada e uma porcentagem destes cativos africanos morria em seus primeiros dias e seus corpos eram enterrados dentro de barracões ou nos arredores do mercado. Calcula-se que foram enterrados, no Cemitério dos Pretos Novos, entre 20.000 e 30.000 escravos.
Em 1830, o mercado foi fechado, tanto devido a reclamação de moradores dos seus arredores, como também, era uma forma das autoridade…

As invenções da Primeira Guerra Mundial

Imagem
As invenções da Primeira Guerra Mundial - Tomando Nota #6 


Soldados que não se camuflam, pessoas que acham que aviões seriam um ótimo esporte, mas uma péssima arma de guerra... Muita coisa mudou antes e depois do primeiro conflito mundial que abalou o planeta. Nesta continuação sobre a Primeira Guerra Mundial, vamos conhecer as mentalidades e as tecnologias de guerra criadas no conflito. Se liga aí!
Conheça nosso canal! - https://www.youtube.com/tvhistoriante

Zygmunt Bauman - Identidade

Imagem
Ele já nos deixou, mas sua obra permanece urgente. Estamos falando de Zygmunt Bauman, e na mesa do editor de hoje, falaremos sobre o livro "Identidade".

Quem somos nós? A pergunta, aparentemente, é fácil. Mas, quais critérios usamos para essa identificação? Bauman busca refletir sobre essa problemática dentro de outra: o mundo líquido moderno.

E o que é um mundo líquido? Bauman observa que a sociedade contemporânea acelerou seu ritmo de vida, em vários aspectos. Os valores tornaram-se fluídos dentro de um mundo em que a novidade é mais importante que a base. A globalização, lógico, tem sua grande parcela de importância nisso, a partir do momento que aproximou culturas as mais variadas possíveis. A conectividade típica das últimas décadas também trouxe à tona modelos antes inacessíveis a tantas pessoas. Instagram, Facebook e Twitter acirraram ainda mais esse processo, aproximando e chocando visões de mundo tão distintas.

Dentro desse contexto, a liquidez é necessária: valore…

Qual a história do Dinheiro?

Imagem
É um negócio que some dos nossos bolsos. A gente fala mal, mas deseja ter. Não traz felicidade, mas é quase isso. Estamos falando do DINHEIRO! Conhece a origem dele? Então confere aqui no Historiante!


Conheça nosso canal! https://www.youtube.com/tvhistoriante

Os pilares da terra - Mesa do editor

Imagem
Sabe aqueles épicos, cheios de intriga, romance, ação? Pois é, tá aqui um belo exemplar. Com vocês, na mesa do editor hoje:

- Os pilares da terra (Ken Follet).

Vamos mergulhar no mundo medieval. A trama se passa no século XII, em terras inglesas (e uma parte na França), e os eventos giram em torno da construção da catedral de Kingsbridge. O autor nos coloca a acompanhar os passos da família de Tom Construtor, um mestre pedreiro que, em função das dificuldades típicas do seu ofício, precisa se deslocar de cidade em cidade, buscando canteiros de obras pra trabalhar. Seu maior sonho: construir uma catedral. É acompanhado pelos filhos e pela esposa grávida.

A trama nos apresenta outros personagens: o padre Phillip, ingênuo no início da história, mas que aprende as regras do jogo no decorrer dos eventos; o ambicioso Waleran Bigod, sedento por poder, sem medir limites para alcançá-lo; Ellen, a "bruxa", mulher sábia, conhecedora das propriedades da natureza, que é perseguida pelos c…

Fate Stay/Night na mesa do editor.

Imagem
A mesa do editor traz hoje um misto de fantasia, rpg e história antiga e medieval. E tudo isso em uma série fantástica de mangás:

- Fate Stay Night (Type-Moon, distribuído no Brasil pela Panini Comics)
De tempos em tempos, a Guerra do Santo Graal acontece na cidade japonesa de Fuyuki. Essa guerra consiste no embate de 7 magos, que recebem do Graal uma marca/selo e o poder de invocar um espírito heroico do passado (e do futuro também, como descobriremos depois). Esses fantasmas de grandes guerreiros retornam ao presente na forma de servos de cada mago, que irão disputar a posse do Santo Graal mediante batalhas.
Nesse ínterim, o pacato Shirou Emiya segue seu dia-a-dia no colégio da cidade, vivendo a vida de uma adolescente comum. No entanto, apesar do marasmo de sua vida, ele esconde um pequeno segredo: ele estuda magia. Órfão desde muito cedo, foi adotado por um mago que permitiu que Shirou aprendesse algumas técnicas. Por não ser um mago desde nascença, seu único poder mágico é o de id…

Projeto de lei autoriza destruição de documentos originais após digitalização

O Senado aprovou o projeto de lei do senador Magno Malta que autoriza a destruição de documentos originais em papel após a digitalização certificada. Isso é uma coisa que está arrepiando todo mundo que gosta de história e que luta pela preservação da nossa memória. O relator da proposta, senador Armando Monteiro, explicou que a manutenção dos arquivos de papel custa caro e exige investimentos permanentes. O projeto segue agora para análise da Câmara dos Deputados. DISPONÍVEL EM: http://cbn.globoradio.globo.com/media/audio/96379/projeto-de-lei-autoriza-destruicao-de-documentos-o.htm

Victor Hugo, o homenageado de hoje do Google.

Imagem
Victor Hugo: advogado dos miseráveis
Sua vida e obra estão marcadas por seus ideais de liberdade e justiça social, que também defendeu na política



Victor Hugo nasceu em 26 fevereiro de 1802 na cidade de Besançon (França). Poeta, dramaturgo e romancista francês, é considerado um dos autores mais importantes da língua francesa e também um político e intelectual muito comprometido e influente na história de seu país e da literatura do século XIX.
Victor Hugo, por causa da profissão militar de seu pai, viveu em várias cidades francesas em sua infância, como Elba, Marselha e Nápoles. Quando seu pai acompanhou o novo rei José I (o famoso Pepe Botella – Pepe Garrafa, no apelido depreciativo), irmão de Napoleão Bonaparte, até a Espanha, o jovem Victor Hugo chegou a Madri, onde morou por dois anos.