Enquanto isso no Rio...




Prof. Aline Martins dos Santos
Redação d'O Historiante.

Há 7 dias os garis do Rio de Janeiro estão em greve por melhores salários e, principalmente, por respeito. Atualmente, o piso salarial dos garis é de R$ 803,00. A categoria reivindica o reajuste do piso para R$ 1.200,00, enquanto a prefeitura propõe R$ 877,00. Os profissionais cruzaram os braços e em pouco tempo o Rio foi engolido por montanhas de sujeira em pleno Carnaval. As imagens de diferentes bairros da cidade, em especial o Centro do Rio, inundados de lixo tornaram-se uma boa alegoria de como os governantes vem tratando a cidade. Leia a notícia: http://www.jb.com.br/rio/noticias/2014/03/03/queremos-varrer-o-prefeito-da-cidade-dizem-garis-em-greve/

E, como não podia deixar de ser, mais uma vez nosso prefeito Eduardo Paes mostrou sua grande cara-de-pau e a sua faceta ditatorial. Primeiro ao dizer que não havia greve dos garis em meio as montanhas de lixo que se acumulavam e depois ameaçando demitir 300 profissionais caso estes não voltassem ao trabalho imediatamente. Qualquer pessoa que tenha circulado pela cidade nesse Carnaval pôde observar o imenso caos que a cidade se transformou.. E isso para não falar da loucura do trânsito por conta das obras para a Copa. Se apenas 300 garis criaram esse caos na cidade eles não merecem punição, eles merecem é um substancial aumento, pois é incrível como trabalham essas 300 pessoas.

A grande mídia, em consonância com a situação de nossas ruas, fez mais uma vez o seu trabalho sujo de tentar colocar a população contra os garis mostrando as ruas lotadas de resíduos e falando incessantemente sobre os problemas que o acúmulo de lixo pode trazer. Informações importantíssimas claro, porém somente esqueceram de pontuar, como sempre, as condições aviltantes a que estes profissionais são submetidos diariamente. E, como se não bastasse as diversas humilhações sofridas, inacreditavelmente o prefeito decidiu que os garis deveriam retornar ao trabalho acompanhados por escoltas armadas que mais lembram os "capitães-do-mato" de outrora utilizados para garantir que os escravos não fugissem ou deixassem de trabalhar nos engenhos.
Confira a matéria: http://noticias.r7.com/rio-de-janeiro/pm-e-guarda-municipal-fazem-escoltas-de-garis-durante-recolhimento-do-lixo-na-cidade-06032014

Para quem não sabe, o surgimento do termo gari provém do nome de Pedro Aleixo Gary. Durante o Império, ele assinou o primeiro contrato de limpeza urbana no Brasil na cidade do Rio de Janeiro. Após a passagem de cavalos, Aleixo reunia funcionários para limpar as ruas. Os Cariocas se acostumaram com esse trabalho e sempre mandavam chamar a "turma do Gary". Aos poucos, com a repetição, o sobrenome de Aleixo passou a ser associado aos funcionários que cuidavam da limpeza das ruas. Tais funcionários eram negros e ainda hoje a maioria dos garis é formada pela população negra, revelando duramente algumas permanências em nossa História.

Com a realização dessa greve, mais do que exercer o direito de lutar por dignidade e melhores condições de trabalho e vida, os garis nos deixam também algumas questões que merecem ser muito bem avaliadas. Ficou evidente o nosso excesso de consumismo. É urgente que reavaliemos a nossa relação com o "lixo" que produzimos. A sujeira que se acumula pelas ruas do Rio de Janeiro não surgiu através de geração espontânea. Não foram os garis que o produziram, nem tampouco foram eles que o descartaram. O texto que destacamos aqui traz ideias que contribuem para esse debate. http://tokyorio.com/2013/10/14/o-lixo-e-de-cada-um/ 

Esses profissionais praticamente invisíveis para grande parte das pessoas estão conseguindo provar o quão importantes e indispensáveis são para nossa sociedade, que sua profissão é digna e que eles não são apenas "coisas" a serem descartadas.

Todo apoio e respeito aos garis!



***


Os Garis do Rio de Janeiro provaram que a união faz a força.

Após 3h de reunião e vários dias de manifestações nas ruas da cidade a prefeitura cedeu à pressão popular e aceitou a contraproposta da categoria de 36% elevando o salário para R$1100 e mais 20 reais de ticket -alimentação.

Parabéns a esses guerreiros e guerreiras que não se acovardaram mesmo diante de ameças de demissão de um prefeito truculento, à peleguice do sindicato, peitar prefeito truculento, polícia no lombo, sofrer ameaça de demissão e corte de salário, ataques da mídia nojenta e da "elitizinha" incomodada.

É uma enorme vitória com certeza, mais ainda é pouco. eles merecem muito mais
Pder para o povo e o poder do povo vai fazer um mundo novo!

Confiram as reportagens:
http://odia.ig.com.br/noticia/rio-de-janeiro/2014-03-08/termina-greve-dos-garis-da-comlurb.html

http://extra.globo.com/emprego/servidor-publico/acordo-entre-prefeitura-garis-poe-fim-greve-da-categoria-11827023.html





Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Livro - "A vida Verdadeira de Domingos Xavier", de José Luandino Vieira

Educação doméstica X Educação escolar no Brasil: desafios, conflitos e perspectivas.

" Todos iguais... uns mais iguais que os outros"