Parabéns aos profissionais da educação!


Prof. Lucas Adriel Silva de Almeida
Redação d'O Historiante


Durante tempos respeitada, idealizada, a profissão de professor hoje no Brasil passa bem longe dos sonhos da grande maioria dos jovens. É uma raridade ouvir um jovem que busca descobrir sua vocação afirmar: “Eu quero ser um professor”.  Em sentido oposto é comum ouvir - a todo  momento - que não há, e realmente não há, profissão mais honrada quanto a de ser um educador e que dessa profissão dependem todas as outras. Então uma clara interrogação surge dessa contradição: a que se deve o fato de que uma profissão de tamanha importância dentro de uma sociedade não seja o sonho da maioria dos jovens?


Bom, não queremos limitar aqui a nossa reflexão e pensar apenas nas baixas projeções salariais que envolvem a carreira, nem expor os problemas crônicos do nosso sistema educacional como a falta de infraestrutura das unidades escolares. Acreditamos que tal questão se estenda por algumas outras veredas, as quais merecem nossa atenção no dia em que comemoramos o fato de sermos profissionais da educação, ou seja, pessoas que se capacitam para exercer a transmissão do conhecimento em determinada área.  Portanto, ser um profissional indica que você dispõe de técnicas, métodos e ferramentas capazes de elucidar pessoas (o termo é amplo assim mesmo e não só crianças ou jovens) as mais diferentes possíveis para transitarem sobre diferentes esferas do conhecimento.

Entendemos que o principal ponto para que a profissão não seja atrativa, se concentra fundamentalmente no fato de que o mercado é aberto a qualquer pessoa que assim queira estar em sala de aula (exercer a profissão cabe aos profissionais). Precisamos sim é entender que não podemos delegar a uma pessoa que tenha simplesmente o conhecimento em alguma esfera do saber o direito de estar em sala de aula. Este problema da educação brasileira mostra, na verdade, um problema da sociedade brasileira, a sua incapacidade de gerir a sua maior riqueza. Como diriam meus queridos avós “é querer tapar o sol com uma peneira”. Se não precisa de formação na área para trabalhar como professor, porque nossos jovens fariam isto?



Enfim, parece clichê, mas acreditamos que o profissional de educação é sim a salvação deste país. Uma legislação mais rígida (e isso já está acontecendo) restringirá cada vez mais o mercado a pessoas que se profissionalizem na arte de problematizar o conhecimento; que possibilitem ao aluno despertar em si a capacidade de ler o mundo criticamente e que acabem de vez com essa idéia da mera transmissão do conhecimento. Parabéns professores pelo NOSSO dia e vamos lutar para que cada vez mais o processo que está em curso se acelere e diante da pouca oferta de pessoas capacitadas para exercer a função, outros problemas, como os salariais, sejam sanados e que este país valorize o que lhe é primordial. E tenho certeza que muitos jovens não verão suprimidos os seus sonhos de mudar, pra melhor, este país que doente precisa dos melhores médicos que existem: os doutores da educação.

Comentários

  1. Amei o texto, principalmente qndo vc reafirma aquilo q todos deveriam saber: pra ser professor é preciso ter formação profissional pra isso e não apenas "conhecimento" sobre assuntos trabalhados nas disciplinas.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Livro - "A vida Verdadeira de Domingos Xavier", de José Luandino Vieira

Educação doméstica X Educação escolar no Brasil: desafios, conflitos e perspectivas.

" Todos iguais... uns mais iguais que os outros"